Seguir por Email

Você é o visitante:

Obrigado pela visita
Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

NEOBLOGGER. Tecnologia do Blogger.

postheadericon Cristo em nós: Uma vida no Espírito (Romanos 8:1-11)

IPB Alvorada 13/06/10.

Tema: Cristologia

Texto Bíblico de:

Romanos 8:1-11

1- Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. 2- Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte. 3- Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado, 4- a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. 5- Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito. 6- Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz. 7- Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar. 8- Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. 9- Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. 10- Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida, por causa da justiça. 11- Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita.

Introdução:

Todos nós lutamos contra os nossos pecados. Essa é uma luta constante de todo crente. O Apóstolo Paulo passa praticamente todo o capítulo 7 versando sobre essa luta de todo ser humano. Ele mesmo aponta suas falhas humanas nos versos 18 a 24 ao dizer: 18- Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. 19- Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço. 20- Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim. 21- Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim. 22- Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus; 23- mas vejo, nos meus membros, outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros. 24- Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?

Se o próprio Apóstolo lutava contra os seus pecados, imaginem a nossa situação no que se refere a isso? Conhecemos a Lei de Deus, conhecemos os preceitos Divinos, sabemos a vontade do Pai, entregamos a vida a Cristo, e, mesmo assim não conseguimos nos desvencilhar dos nossos pecados. Já dizia um teólogo antigo que: “Pecamos porque somos pecadores e não o contrário”.

Não obstante a toda a nossa inclinação humana para o pecado, o Apóstolo Paulo inicia o capítulo 8 nos mostrando uma grande novidade: “Cristo nos liberta dos nossos pecados!”

Título: Cristo em nós: Uma Vida no Espírito

1o) Em Cristo somos libertos de toda condenação: (Vv.1-3: 1- Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. 2- Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte. 3- Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado...)

O Apóstolo Paulo demonstra um profundo interesse pastoral com essa afirmação. Ele diz aos seus leitores, à luz do lembrete de que ele mesmo era um pecador em potencial, que agora gozamos todos da aceitação, da imunidade e da segurança em Cristo Jesus.

O texto nos diz que os que estão em Cristo foram libertos de toda condenação. Aqui encontramos dois conceitos interessantes: A não condenação e o estar em Cristo.

Com respeito à não condenação, o que a Bíblia quer nos dizer é que todos os que falham em cumprir a Lei de Deus incorre na condenação divina, uma vez que a Lei não foi revogada. O verso 3 diz: Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne... Isso aponta para o fato de que a Lei, na verdade, depende da ação do homem na sua observância e isso a enfraquece no que se refere à salvação. Ainda o próprio verso 3 continua: isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado... Cristo cumpriu a Lei e por isso condenou em sua carne toda ação do pecado nos libertando, n’Ele, na cruz.

Aqui entra o segundo conceito, o estar em Cristo. O sacrifício de Jesus satisfez a ira de Deus e nos libertou das cadeias do pecado, contudo isso implica em vivermos nossa vida em Cristo. A Graça não nos isenta da nossa responsabilidade. Temos que entregar o controle da nossa vida nas mãos de Jesus. A Palavra diz: Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Isso implica em sujeitar nossas vontades à vontade de Cristo. Por exemplo:

1. Alguém me ofendeu, devo revidar? Cristo revidaria?

2. Alguém foi injusto comigo, devo ser injusto? Cristo seria?

3. Alguém me lesou, devo lesá-lo? Cristo o lesaria?

4. Todo mundo age de uma certa forma que é errado, também devo agir para tirar vantagem? Cristo assim agiria?

Em Cristo somos libertos de toda condenação, mas estar em Cristo tem os seus preços e suas responsabilidades. É fácil? Claro que não, mas seguindo, vemos que o texto nos diz também que:

2o) Em Cristo, recebemos e andamos no Espírito: (Vv.4-9: 4- a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. 5- Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito. 6- Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz. 7- Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar. 8- Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. 9- Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.)

Em Cristo Jesus recebemos o Espírito Santo que passa a habitar em nosso interior. Isso é uma grande bênção, um presente de Deus a todo crente. Uma vez que não conseguimos cumprir a Lei e entregamos a nossa vida a Cristo Jesus, agora o Espírito Santo, que em nós habita nos auxilia contra a pecaminosidade.

Aqui, no verso 5 encontramos novamente dois conceitos: a Inclinação para a Carne e a Inclinação para o Espírito.

Os que se inclinam para a carne são os que cumprem a sua própria vontade, são guiados pela sua natureza pecaminosa e não demonstram em sua vida o fruto da ação do Espírito, antes as obras da carne como está descrito em Gálatas 5:19-21: 19- Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, 20- idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, 21- invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.

É preciso atentar com cuidado para o nosso estilo de vida, pois, se o que tem dominado a nossa vida é a Inclinação para a Carne caminhamos para a morte (V.6), estamos vivendo em inimizade com Deus (V.7), desagradando ao Senhor (V.8) e não somos realmente de Cristo (V.9). Se quando analisamos nossa vida vemos que o que impera em nós são as obras da carne significa que não recebemos ainda o Espírito de Cristo.

Já os que se Inclinam para o Espírito são libertos da sua pecaminosidade latente por estarem sendo governados por Cristo Jesus e, em conseqüência dão lugar ao fruto do Espírito que floresce em suas vidas, conforme descrito em Gálatas 5:22-23: 22- Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, 23- mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. Os que têm a vida Inclinada para o Espírito vivem em paz com Deus (V.6; Rm.5:1: Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.), são amigos de Deus (V.7; Jo.15:14: Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando.), agradam ao coração do Senhor (V.8; Jo.15:15: Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer.) tem o Espírito e a mente de Cristo (V.9; 1Co.2:16: ... Nós, porém, temos a mente de Cristo.)

Em Cristo recebemos e andamos no Espírito e isso nada mais é do que a nova vida que o crente recebe para viver desde aqui até o céu.

3o) Em Cristo somos vivificados pelo Espírito: (Vv.10-11: 10- Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida, por causa da justiça. 11- Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita.)

Por fim, o Apóstolo Paulo aprofunda o conceito de liberdade em Cristo associando-o à mortificação da carne pela morte de Jesus na cruz. O que necessariamente significa isso. A intenção não é dizer que o corpo físico é mal em si, mas que está enfermado pelo pecado e precisa da restauração advinda da ressurreição.

Como nos mostra o verso 10 em Cristo nós recebemos uma nova vida. N’Ele, no seu corpo, na sua carne, também fomos mortos para o pecado. Isso significa que quando entregamos nossa vida a Jesus, todos os nossos pecados foram crucificados no Calvário com Ele. Desta feita já não temos mais a vida movida pelos desejos da nossa carne, pois a carne está morta. A vida que agora temos é a vida no Espírito de Cristo que em nós habita.

A inclinação para o pecado está crucificada juntamente com a nossa carne no calvário, em contrapartida o Espírito de Deus habita em nós e nos dá vida em Cristo. As nossas vontades, os nossos desejos são regidos por fazer a vontade de Cristo. Assim, o verso 11 declara que: Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita.

Isso significa que se a nossa carne e a nossa inclinação pecaminosa estão mortificadas pelo sacrifício de Jesus; também receberemos a mesma ressurreição que Cristo recebeu. N’Ele, ressuscitaremos no último dia. Receberemos um novo corpo transformado, não mais sujeito ao pecado e às inclinações da carne. Por fim, então, em Cristo somos vivificados Espírito. Somos feitos novas criaturas!

Conclusão:

Vimos hoje que o Apóstolo Paulo, não obstante ao seu potencial de pecado, reconhece que em Cristo foi transformado por completo:

1. Em Cristo somos libertos da condenação;

2. Em Cristo, recebemos e andamos no Espírito;

3. Em Cristo somos vivificados pelo Espírito.

Aplicação:

Também nós podemos ser abençoados nesta mesma monta ao entregarmos nossas vidas ao Senhor. Que possamos, ainda hoje, entregar a direção da nossa vida a Jesus e sermos transformados pelo seu Espírito.

Em Cristo Jesus. A quem seja toda a Glória, Honra e Louvor por toda a eternidade. Amém.

Rev. Alessandro Capelari.

0 comentários:

CONHEÇA A PL 122.

NÃO À PL 122

IPB JD. ALVORADA

Igreja Presbiteriana do Jardim Alvorada

O CAMINHO DA VIDA

Programa O Caminho da Vida

IGREJA PRESBITERIANA

Igreja Presbiteriana do Brasil - 150 anos