Seguir por Email

Você é o visitante:

Obrigado pela visita
Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

NEOBLOGGER. Tecnologia do Blogger.

postheadericon Posicionamento do Pr. Paschoal Piragine Jr sobre as eleições 2010.

postheadericon "O Desafio de Viver uma Vida no Espírito" (João 14:16-27)

IPB Alvorada 22/08/10.

Tema: Vida Cristã

Texto Bíblico de:

João 14:16-27

16- E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, 17- o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós. 18- Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros. 19- Ainda por um pouco, e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis. 20- Naquele dia, vós conhecereis que eu estou em meu Pai, e vós, em mim, e eu, em vós. 21- Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele. 22- Disse-lhe Judas, não o Iscariotes: Donde procede, Senhor, que estás para manifestar-te a nós e não ao mundo? 23- Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada. 24- Quem não me ama não guarda as minhas palavras; e a palavra que estais ouvindo não é minha, mas do Pai, que me enviou. 25- Isto vos tenho dito, estando ainda convosco; 26- mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito. 27- Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.


Introdução:

Ilustração: “Para o resto da vida: o menino e o cadarço.”

Todos nós gostamos de ter Jesus ao nosso redor, gostamos de nos sentir protegidos e amparados pelo Mestre.


Narração:


Neste texto nós vemos Jesus consolando os seus discípulos acerca da necessidade de sua partida para o Pai. Os discípulos, na verdade, não queriam que Jesus partisse. Eles queriam contar com a presença física de Jesus, pois isso lhes dava segurança e também um certo conforto. Contudo, Jesus passa a lhes mostrar que seria muito melhor que Ele fosse para o Pai e que, a partir desse momento Ele não estaria presente de forma física, mas faria ainda melhor, moraria dentro de cada um deles.

A grande questão é que os discípulos preferiam ter Jesus do lado de fora, resolvendo os seus problemas, atendendo aos seus pedidos, os socorrendo no meio das tempestades, expulsando demônios e curando doentes para que eles pudessem ver e acompanhar. Os discípulos queriam que Jesus continuasse assumindo todas as responsabilidades do Reino de Deus, ao passo que eles apenas o acompanhariam e se alegrariam com as bênçãos. Mas o Mestre tinha algo melhor para eles. Jesus tinha crescimento, amadurecimento, aprimoramento, fortalecimento e, em um certo sentido, emancipação para aqueles homens.

Isso era um grande desafio que também nós temos que enfrentar. Muitos querem viver a espiritualidade dos outros. É mais fácil eu ficar à espreita do que eu ter que assumir responsabilidades, assim, fica mais fácil eu arrumar culpados pelos meus problemas espirituais:

1. Se o meu filho não quer mais vir à Igreja a culpa é dos jovens que não apóiam e não minha que não consigo ser um bom exemplo de cristão;

2. Se o meu casamento não vai bem o culpado é o pastor que não me visita e não ora por mim, e não o nível de relacionamento sofrível que desenvolvi dentro do meu lar;

3. Se minha vida espiritual não deslancha, a culpa é da Igreja que não é espiritual e não minha que não oro o suficiente, não leio o suficiente, e ainda que faça isso, não estou disposto a mudar meus valores e conceitos...

Quando Jesus diz aos discípulos que Ele iria para o Pai e lhes deixaria o Consolador, Ele estava dizendo o seguinte: “Agora é com vocês, meus amados. Eu fiz a minha parte, vou completá-la pagando pelos seus pecados na cruz, vou ressuscitar, voltar ao Pai... Já lhes dei o exemplo, vou deixar-lhes o Espírito habitando dentro de vocês para os auxiliar lembrando-lhes tudo o que vocês já aprenderam de mim. Coloquem em prática o seu cristianismo. Os encontro no céu...”

Jesus passa o bastão para os seus discípulos enviando-lhes o Consolador, o Ajudador, o Auxiliador, para que agora eles cumpram o papel deles. E o interessante aqui é que os discípulos não queriam isso. Eles queriam que Jesus continuasse do lado de fora de suas vidas. Queriam um Jesus como muleta na qual eles pudessem se apoiar. Queriam um Jesus que resolvesse os seus problemas sem que eles fossem responsabilizados por eles.

Também nós agimos assim. Preferimos um Jesus que nos tire a dor e não O que nos dê forças e sabedoria para enfrentá-la. Preferimos o Jesus que nos deixe longe dos demônios e não O que nos dá autoridade para enfrentá-los... É nesse contexto que Jesus exorta aos seus discípulos e nos exorta também. É nesse contexto que Jesus nos deixa o...

Título:

O Desafio de viver uma vida no Espírito

Transição: Esse era o desafio dos discípulos, esse é o nosso desafio hoje. De sermos crentes que vivem uma vida cheia do Espírito Santo de Deus. Mas como isso se dá? O texto nos mostra de forma prática:

1o) Desafio da Obediência:

(V.21: Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele.)

Obedecer a ordem bíblica de amar a Deus. Um amor que leva à cruz (Fp.2:5-8). Um amor que faz com que abramos mão das nossas coisas, ocupações e preocupações em favor do Reino de Deus. Um amor que me faz rever valores internos e externos. Que me leva a buscar a vontade de Deus antes de todas as outras coisas.

Os discípulos queriam um Jesus que amasse a Deus por eles. Que fosse à cruz por eles. Que tivesse que dar sua própria vida em lugar deles.

Obedecer a ordem bíblica de amar ao próximo. Um amor que me leve a ver a necessidade do outro. A sentir a dor do outro. A me envolver com o problema do outro. Eles queriam um Jesus fora, que amasse os desvalidos por eles, que tocasse nos doentes e leprosos por eles. Que tivesse que enfrentar viúvas enlutadas por perderem seu único filho por eles...

O desafio de viver uma vida no Espírito, com o Consolador dentro de nós é o desafio de obedecer ao resumo da Lei: 37- Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. 38- Este é o grande e primeiro mandamento. 39- O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 40- Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas. (Mt.22:37-40)

2o) Desafio de Aprender:

(V.22: Disse-lhe Judas, não o Iscariotes: Donde procede, Senhor, que estás para manifestar-te a nós e não ao mundo?)

Os discípulos não queriam que o Espírito viesse sobre eles porque achavam que já sabiam tudo de Jesus. Não precisavam aprender mais nada.

O Espírito revela a nós que precisamos mudar nossas estruturas, que precisamos nos envolver de verdade com o trabalho santo da Obra de Deus. O Espírito nos ensina que viver n’Ele é viver transformado. O problema é que nós, como os discípulos:

1. Preferimos usar o poder de Jesus em vez de permitir que ele se aperfeiçoe em nós pelas nossas fraquezas;

2. Preferimos usar a unção de Jesus e vez de pagarmos o preço de ter uma vida cheia de unção;

3. Preferimos que Jesus nos cure de tudo em vez de sermos agentes para cura de outros;

4. Preferimos a glória que Jesus conquistou na cruz em vez do escárnio de sermos perseguidos por causa do Seu Nome.

Jesus quer revelar-se por completo a nós e não ser apenas uma imagem opaca, ofuscada pelo conhecimento pecaminoso da nossa humanidade.

O desafio de viver uma vida no Espírito, com o Ajudador dentro de nós é o desafio de aprender d’Ele diariamente através da disciplina e da piedade. Quando não aprendemos do Espírito vivemos como muitos crentes de hoje em dia. Pulando de Igreja em Igreja, procurando alguém que assuma a responsabilidade pela sua espiritualidade individual.

3o) Desafio de ter um Caráter transformado:

(V.26: ... mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito.)

O Espírito de Deus nos ensina, nos amadurece e nos emancipa de nós mesmo, levando-nos à plenitude, “... até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo.” (Ef.4:13)

Querer um Jesus fora de nós em vez de querê-lo habitando em nossos corações pelo Espírito é querer nos eximir das nossas responsabilidades. O que Jesus quer é que não nos acostumemos a depender da espiritualidade dos outros ou da Igreja para o nosso crescimento espiritual. Ele quer que o nosso caráter seja transformado, forjado pelo poder e pelo fogo do seu Santo Espírito habitando em nós.

Os discípulos queriam viver na dependência da ação de Jesus no sentido de não terem que mudar o seu estilo de vida:

1. Pedro poderia continuar sendo impetuoso, apressado, irreverente e estabanado...

2. Tomé continuaria com sua incredulidade...

3. Judas, não o Iscariotes, com sua empáfia diante do Mestre...

4. Poderiam continuar pescando peixes, cobrando impostos, perseguindo a Igreja, vivendo suas próprias vidas...

O desafio de ter o caráter transformado é o desafio de permitir que o Espírito Santo nos ilumine e traga à tona os nossos pecados e a podridão da nossa alma para nos tratar. O desafio de viver uma vida no Espírito, com o Auxiliador dentro de nós é o desafio de ter o caráter transformado, é o desafio de permitir-se ser iluminado pelo Espírito, ser sondado (Sl.139) ser lavado, alvejado, limpo pelo lavar regenerador desse Espírito (Tt.3:5)

Conclusão:

Amados, Jesus viveu uma vida na plenitude do Espírito do Pai, todos nós também somos desafiados a viver essa vida de plenitude do Espírito Santo de Deus. Ele já habita em nós, mas somos convidados e desafiados a tê-lo transbordando em nós, a tê-lo comandando todas as áreas da nossa vida.

O Espírito do Senhor:

1. Nos leva a OBEDIÊNCIA;

2. Nos leva ao APRENDIZADO;

3. Nos leva a termos UM CARÁTER TRANSFORMADO.

Aplicação:

Se você tem sentido que necessita de ser cheio por esse Espírito, ore para que o Senhor o leve a uma vida de completa dependência dele, de tal forma que você seja capaz de obedecê-lo, aprender diariamente a ver a mão do Senhor em todas as coisas e tendo um caráter transformação pela ação desse Santo Espírito em sua vida.

Em Cristo Jesus. A quem seja toda a Glória, Honra e Louvor por toda a eternidade. Amém.

Rev. Alessandro Capelari.

CONHEÇA A PL 122.

NÃO À PL 122

IPB JD. ALVORADA

Igreja Presbiteriana do Jardim Alvorada

O CAMINHO DA VIDA

Programa O Caminho da Vida

IGREJA PRESBITERIANA

Igreja Presbiteriana do Brasil - 150 anos